sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Tenho aprendido (2)...

Tenho aprendido que se nos olharmos mais nos olhos uns dos outros do que temos feito, talvez possamos nos compreender melhor, sem precisar de muitas palavras. Que uma coisa vale para todo mundo: apesar do que os gestos às vezes possam aparentar dizer, cada pessoa, com mais ou menos embaraço, carrega consigo um profundo anseio por amor. E, possivelmente, andará em círculo, cruzará desertos, experimentará fomes, elegerá algozes, posará de vítima para várias fotos, pulará de uma ilusão a outra, brincará de esconde-esconde com a vida, até descobrir onde o tempo todo ele está.

Ana Jácomo
By Amelia Biagioli

Eu tenho aprendido

Tenho aprendido com o tempo que a felicidade vibra na frequencia das coisas mais simples. Que o que amacia o riso, convida a alma pra brincar, são essas imensas coisas
pequeninas bordadas com fios de luz no
tecido aspero do cotidiano...


Ana Jácomo
By Amelia Biagioli

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Sem espelhos

Eu procurei ficar ao lado somente daquelas pessoas que nunca me decepcionaram...


Fiquei sozinha.


E sem espelhos.


Liliane P.Mendes
By Amelia Biagioli

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Preciso aprender que...

As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui para satisfazer as delas. Temos que nos bastar, nos bastar sempre, e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém. As pessoas não se precisam, elas se completam, não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.

Mário Quintana
By Amelia Biagioli

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Instantes

Em cada instante das nossas vidas temos um pé nos contos de fadas e o outro no abismo."

Paulo Coelho
By Amelia Biagioli

Não há..

Não há gente completamente boa nem gente completamente má, está tudo misturado e a separação é impossível. O mal está no próprio gênero humano, ninguém presta. Às vezes a gente melhora. Mas passa.

Lygia Fagundes Teles
By Amelia Biagioli


segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Medo...

“Tenho medo de decepcionar as pessoas, de magoá-las, de faze-las cansarem de mim. Só queria que elas também tivessem esse medo, é tão ruim se decepcionar com alguém."

Tati Bernardi
By Amelia Biagioli



sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Sorrir...

 “Eu não podia apenas sorrir quando me lembrasse de você? Mas acontece tipo assim: lembro do seu rosto, do seu abraço, do seu cheiro, do seu olhar, do seu beijo e começo a sorrir.”

Caio Fernando Abreu
By Amelia Biagioli

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Crescer...


"Se a gente cresce com os golpes duros da vida,            também podemos crescer com os toques suaves da alma.”
    
Cora Coralina
By Amelia Biagioli

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Aprendi...

Aprendi que se aprende errando.
Que crescer não significa fazer aniversário. 
Que o silêncio é a melhor resposta, quando se ouve uma bobagem. 
Que trabalhar significa não só ganhar dinheiro. 
Que amigos a gente conquista mostrando o que somos. 
Que os verdadeiros amigos sempre ficam com você até o fim. 
Que a maldade se esconde atrás de uma bela face. 
Que não se espera a felicidade chegar, mas se procura por ela. 
Que quando penso saber de tudo ainda não aprendi nada. 
Que a natureza é a coisa mais bela na vida. 
Que amar significa se dar por inteiro. 
Que um só dia pode ser mais importante que muitos anos. 
Que se pode conversar com estrelas. 
Que se pode confessar com a lua.
Que se pode viajar além do infinito. 
Que ouvir uma palavra de carinho faz bem à saúde. 
Que dar um carinho também faz... 
Que sonhar é preciso. 
Que se deve ser criança a vida toda. 
Que nosso ser é livre. 
Que Deus não proíbe nada em nome do amor. 
Que o julgamento alheio não é importante. 
Que o que realmente importa é a paz interior. 
E, finalmente, aprendi que não se pode morrer, para se aprender a viver!



Auto desconhecido
By Amelia Biagioli

Felicidade

"Felicidade é a certeza de que nossa vida não está se passando inutilmente." 

Érico Veríssimo
By Amelia Biagioli

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Martírio Final


Quando o peito aperta, a alma sai fora da matéria e uma lágrima rola em sua face,
E o pranto jurado pelos mortos se aquece,
Sua vida se torna uma redoma de vidro,
E os bárbaros são apenas simples mortais.
Por que esta agonia desenfreada que há tanto tempo passou por mim? 
Retorno de angústias passadas?
Como pode ser a fragilidade dos seres humanos.
Finda esta dor, estas lágrimas que já não escorre mais pelo meu rosto, escorre pelo meu coração.
Seguro em meus braços o rei sol com seu coração de gelo.
Que aquece sua solidão e queima meu corpo.
E um abismo se cria entre o céu e a terra.
Os deuses diante de ti sussurram e retiram seu semblante.
Vulnerável, sem defesa, com votos de castidade.
Inconsolável dor, desatinada.
Mudanças atroz, desnecessárias.
Um cálice de vinho entrelaçado em minhas mãos derrama-se e espalha somente a solidão.
Chegar ao fim da linha sem crença na morte e uma desesperança na vida.
Andar na corda bamba da razão, num último golpe: insensatez!
Por fim, em fim, a fim da espera de uma resposta que já conheço.
E num gesto bebo meu sangue e sorrio para o horizonte sombrio como uma criança travessa a espera do martírio final.
 Babi Arruda
By Amelia Biagioli

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Você me deu o Mundo...

Confessar
Sem medo de mentir
Que em você
Encontrei inspiração
Para escrever...
Você é pessoa que nem eu
Que sente amor
Mas não sabe muito bem
Como vai dizer...
Te dou o meu coração
Queria dar o mundo

Luar do meu sertão
Seguindo no trem azul...
Toda vez que for assoviar
A cor do trem
É da cor que alguém fizer
E você sonhar...
Não faz mal
Não ser compositor
Se o amor valeu
Eu empresto um verso meu
Prá você dizer...
Só me dará prazer
Se viajar contigo
Até nascer o sol
Seguindo no trem azul...
Te dou o meu coração
Queria dar o mundo

Luar do meu sertão
Seguindo no trem azul...
Vai lembrar
De um cara como eu
Que sente amor
Mas não sabe muito bem
Como vai dizer...
Só me dará prazer
Se viajar contigo
Até nascer o sol
Seguindo no trem azul
Uh! Uh! Uh!...
Te dou o meu coração
Queria dar o mundo

Luar do meu sertão
Seguindo no trem azul
Seguindo no trem azul
...

Roupa Nova


Dé..."Você Me deu o mundo...quando me deu teu coração..."

By Amélia Biagioli

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

E Assim aos poucos...

“E assim, aos poucos, ela se esquece dos socos, pontapés, golpes baixos que a vida lhe deu, lhe dará. A moça - que não era Capitu, mas também tem olhos de ressaca - levanta e segue em frente. Não por ser forte, e sim pelo contrário: por saber que é fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência. E ama, sabendo que vai chorar muitas vezes ainda. Afinal, foi chorando que ela, você e todos os outros, vieram ao mundo."



Machado de Assis - Dom casmurru
Amelia Biagioli

Altos e Baixos

Desejo que nosso amor seja paciente; que supere os altos e baixos a que é sujeito sem ser posto a prova.
Desejo que seja fértil; que se regue das lágrimas que trouxer, sendo estas de dor ou de alegria.
Desejo que seja próspero; que una presente e futuro, e deixe o que passou para trás, como simples recordação.

Sonho que nosso amor seja rotina; que me permita deitar ao seu lado e olhar nos teus olhos todos os dias, sem nunca me cansar.
Sonho que seja justo; que traga para ambos os lados um benefício nunca antes experimentado.
Sonho que seja indescritível; que continue a surpreender com a falta de palavras, com o vazio da tentativa de expressar o que se sente.

Almejo te admirar ; almejo olhar para voce e lembrar do que você realmente é: mais que um sorriso bonito, um sorriso expressivo;

Espero que você seja forte o suficiente para me proteger; sábio o suficiente para me contradizer; hábil a me persuadir; racional para me tranquilizar; apto a melhorar-me; rápido para me segurar quando eu cair; alto para me erguer quando eu nao puder mais enxergar.

Nosso amor é além. Além de pele e compatibilidade. É sintonia.
Amor cúmplice, amor confidente.

Amor plural. Que se adapta a cada face que o outro admite, em cada situação. Amor adaptável.
Amor palpável. Amor sofrível.
Amor nosso de todo dia.


Karla Buaque
By Amelia Biagioli

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Nosso Silêncio

Nas sutilezas dos nossos instantes estão as razões mais belas de dias felizes

Eis o nosso amor , guardado nos segredos que nossos olhares trazem, nas simplicidades...

Cada momento ao teu lado se faz eterno somente por teu sorriso existir nele

Não há mal nesse mundo que afugente meu coração do lado do teu

Conheço o caminho, reconheço o som dos teus passos e o timbre da tua voz

Optei por te amar de forma incondicional e sublime

A poesia mais bela ainda será escrita, sem geometria, regras corretas. 

Sem engessamento de alma 

E não por palavras, mas por nossos silêncios

Porque não existe palavra pronunciada tão forte quanto o que dizemos e compomos em nossos momentos de comunhão, 

De silêncios comungados e perpetuados por esta paixão.

Thatiana Vaz
By Amelia Biagioli



quinta-feira, 1 de setembro de 2011

O amor cabe em qualquer lugar


O amor cabe em qualquer cantinho…
Sempre dá um jeito de dividir,
de ser cúmplice…

Divide dúvidas, desejos e sonhos…
Se mantém por anos e anos,
e pode acontecer em qualquer tempo.

As vezes, bate uma saudade,
mesmo estando pertinho,
meia hora depois do último beijo…
O amor é assim: uma forma de compartilhar sentimentos,
doar-se…

Dizer muito em poucas, ou nenhuma palavra.

E por ser amor…
Pede esforço para permanecer,
pede compreensão para entender,
pede carinho para manter-se.
Pede gestos solidários para fortalecer-se,
pede atenção sempre, ainda que distante,
pede aproximação, manutenção…

Uma palavra, uma rosa, um bombom,
um beijo demorado, apanhar uma lágrima,
arrepiar a pele, deixar a noite chegar;
esperar o dia amanhecer,
e por fim, por ser amor:
superar obstáculos, sempre!

Porque se é amor,
sempre valerá a pena!

Paulo Roberto Gaefke
By Amelia Biagioli

quarta-feira, 24 de agosto de 2011


Todo guerreiro já ficou com medo de entrar em combate. Todo guerreiro já se iludiu no passado. Todo guerreiro já trilhou um caminho que não era o dele. Todo guerreiro já sofreu por coisas sem importância. Todo guerreiro já achou que não era guerreiro. Todo guerreiro já falhou em suas obrigações espirituais. Todo guerreiro já disse sim quando queria dizer não. Todo guerreiro já feriu alguém que amava. Por isso é um guerreiro, porque passou por tudo isso, e não perdeu a esperança de ser melhor do que era.

Paulo Coelho
By Amelia Biagioli

Seiscentos e sessenta e seis


A vida é uns deveres que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são 6 horas: há tempo...
Quando se vê, já é 6ªfeira...
Quando se vê, passaram 60 anos...
Agora, é tarde demais para ser reprovado... E se me dessem - um dia - uma outra oportunidade,eu nem olhava o relógio seguia sempre, sempre em frente...E iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas.

Mario Quintana
By Amelia Souza

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Encontro

"Não havíamos marcado hora, não havíamos marcado lugar. E, na infinita possibilidade de lugares, na infinita possibilidade de tempos, nossos tempos e nossos lugares coincidiram. E deu-se o encontro"
Rubem Alves
By Amelia Biagioli

Não tinha medo das dificuldades; O que assustava era a obrigação de ter que escolher um caminho. Escolher um caminho significava abandonar outros.

Paulo Coelho
By Amelia Biagioli

domingo, 21 de agosto de 2011

Pontes da vida

"Ninguém pode construir em teu lugar as pontes que precisarás passar para atravessar o rio da vida. Ninguém exceto tu, só tu.Existem, por certo, atalhos sem números e pontes, e semi-deuses que se oferecerão para levar-te além do rio, mas isso te custaria a tua própria pessoa. Tu te hipotecarias e te perderias. Existe no mundo um único caminho por onde  só tu podes passar. Onde leva? Não perguntes, segue-o.”

F. Nietzsche
By Amelia Biagioli


Sabe...


"…sabe que o meu gostar por você chegou a ser amor pois se eu me comovia vendo você pois se eu acordava no meio da noite só pra ver você dormindo meu Deus como você me doía de vez em quando eu vou ficar esperando você numa tarde cinzenta de inverno bem no meio duma praça então os meus braços não vão ser suficientes pra abraçar você e a minha voz vai querer dizer tanta mas tanta coisa que eu vou ficar calada um tempo enorme só olhando você sem dizer nada só olhando e pensando meu Deus como você me dói de vez em quando".

Caio Fernando Abreu
By Amelia Biagioli

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Escolhas


Seguir um impulso é muito fácil. Ao mesmo tempo é difícil, por que toda escolha do coração é um risco é uma aposta, é um jogo. Quando fazemos uma escolha, a gente está jogando no vermelho, está jogando no preto… E a gente só vai saber se a coisa deu certo ou não, depois de jogar, depois de obedecer ao impulso, depois de apostar no desejo.

desconhecido
By Amelia Biagioli

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Não Apresses

Não apresses a chuva, ela tem seu tempo de cair e saciar a sede da terra;
Não apresses o pôr do sol, ele tem seu tempo de anunciar o anoitecer até seu último raio;
Não apresses a tua alegria, ela tem seu tempo para aprender com a tua tristeza;
Não apresses teu silêncio, ele tem seu tempo de paz após o barulho cessar;
Não apresses teu amor, ele tem seu tempo de semear mesmo nos solos mais áridos do teu coração;
Não apresses tua raiva, ela tem seu tempo para abrir-se nas águas mansas da tua consciência;
Não apresses o outro, pois ele tem seu tempo para florescer aos olhos do Criador;
Não apresses a ti mesmo, pois precisas de tempo para sentir a tua própria evolução.

Autor.: Desconhecido
By Amelia Biagioli

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Olá futura eu

Olá futura eu. E então, como estamos? Será que a gente tomou as decisões certas? Será que não cansamos de perseguir nossos sonhos? A gente ainda se emociona com as mesmas coisas? Ainda gosta das mesmas coisas? Me pergunto se a gente ainda comete os mesmos erros. Ficamos ricas? Encontramos a cura pro tédio? Aprendemos a perdoar? Será que a gente tem coisas interessantes para dizer? A gente continua recebendo elogios? Será que chegamos lá? E se chegamos, o lá continua lá? Mas, o mais importante… estamos felizes? Se eu nos conheço bem, devemos estar. Onde quer que você chegue, chegue linda. A vida é bonita, mas, pode ser linda.

o Boticario 
By Amelia Biagioli

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Para se roubar um coração

Para se roubar um coração, é preciso que seja com muita habilidade, tem que ser vagarosamente, disfarçadamente, não se chega com ímpeto, não se alcança o coração de alguém com pressa. Tem que se aproximar com meias palavras, suavemente, apoderar-se dele aos poucos, com cuidado. Não se pode deixar que percebam que ele será roubado, na verdade, teremos que furtá-lo, docemente.

Conquistar um coração de verdade dá trabalho, requer paciência, é como se fosse tecer uma colcha de retalhos, aplicar uma renda em um vestido, tratar de um jardim, cuidar de uma criança. É necessário que seja com destreza, com vontade, com encanto, carinho e sinceridade. Para se conquistar um coração definitivamente tem que ter garra e esperteza, mas não falo dessa esperteza que todos conhecem, falo da esperteza de sentimentos, daquela que existe guardada na alma em todos os momentos.

Quando se deseja realmente conquistar um coração, é preciso que antes já tenhamos conseguido conquistar o nosso, é preciso que ele já tenha sido explorado nos mínimos detalhes, que já se tenha conseguido conhecer cada cantinho, entender cada espaço preenchido e aceitar cada espaço vago... e então, quando finalmente esse coração for conquistado, quando tivermos nos apoderado dele, vai existir uma parte de alguém que seguirá conosco. Uma metade de alguém que será guiada por nós e o nosso coração passará a bater por conta desse outro coração. Eles sofrerão altos e baixos sim, mas com certeza haverá instantes, milhares de instantes de alegria. Baterá descompassado muitas vezes e sabe por que? Faltará a metade dele que ainda não está junto de nós. Até que um dia, cansado de estar dividido ao meio, esse coração chamará a sua outra parte e alguém por vontade própria, sem que precisemos roubá-la ou furtá-la nos entregará a metade que faltava... e é assim que se rouba um coração, fácil não?

Pois é, nós só precisaremos roubar uma metade, a outra virá na nossa mão e ficará detectado um roubo então! E é só por isso que encontramos tantas pessoas pela vida a fora que dizem que nunca mais conseguiram amar alguém... é simples... é porque elas não possuem mais coração, eles foram roubados, arrancados do seu peito, e somente com um grande amor ela terá um novo coração, afinal de contas, corações são para serem divididos, e com certeza esse grande amor repartirá o dele com você.

Luís Fernando Verissimo
By Amelia Biagioli


Depois de recuperar o folego

Igualzinho ao que acontece com todas as pessoas, num trecho ou outro da estrada, eu já senti tanta dor que parecia que os golpes haviam me quebrado toda por dentro. Não sabia se era possível juntar os pedaços, por onde começar, nem se o cansaço me permitiria movimentos na direção de qualquer tentativa. Quando o susto é grande e dói assim, a gente precisa de algum tempo para recuperar o fôlego outra vez. Para voltar a caminhar sem contrair tanto os ombros e a vida. Um espaço para a gente quase se reinventar.

O tempo passa. O fôlego retorna. Parece milagre, mas as sementes de cura começam a florescer nos mesmos jardins onde parecia que nenhuma outra flor brotaria. A alma é sábia: enquanto achamos que só existe dor, ela trabalha, em silêncio, para tecer o momento novo. E ele chega.

Ana Jácomo
By Amelia Biagioli

terça-feira, 19 de julho de 2011

Meu bem querer



"E me dá uma saudade irracional de você. Assim, do nada"

Caio Fernando Abreu
By Amelia Biagioli

Estou Feliz...

Tô me afastando de tudo que me atrasa, me engana, me segura e me retém. Tô me aproximando de tudo que me faz completa, me faz feliz e que me quer bem. Tô aproveitando tudo de bom que essa nossa vida tem. Tô me dedicando de verdade pra agradar um outro alguém. Tô trazendo pra perto de mim quem eu gosto e quem gosta de mim também. Ultimamente eu só tô querendo ver o ‘bom’ que todo mundo tem. Relaxa, respira, se irritar é bom pra quem? Supera, suporta, entenda: isento de problemas eu não conheço ninguém. Queira viver, viver melhor, viver sorrindo e até os cem. Tô feliz, to despreocupada, com a vida eu to de bem.

Caio Fernado Abreu
By Amelia Biagioli

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Apenas Recomeça...

Bendito quem inventou o belo truque do calendário, pois o bom da segunda-feira, do dia 1º do mês e de cada ano novo é que nos dão a impressão de que a vida não continua, mas apenas recomeça..
Mario Quintana
By Amelia Biagioli

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Tenho feito o que acredito...




 ”E, de qualquer forma, às cegas, às tontas, tenho feito o que acredito, do jeito talvez torto que sei fazer”

Caio Fernando Abreu
By Amelia Biagioli

Apesar das cicatrizes...há que acreditar...

“Um jovem estava no centro da cidade, proclamando ter o coração mais belo da região. Uma multidão o cercou e todos admiraram o seu coração. Não havia marcas ou qualquer outro defeito. Todos concordaram que aquele era o coração mais belo que já tinham visto.
De repente, um velho apareceu diante da multidão e disse:
- Por que o coração do jovem não é tão bonito quanto o meu?
A multidão e o jovem olharam para o coração do velho, que estava batendo com vigor, mas tinha muitas cicatrizes. Havia locais em que pedaços tinham sido removidos e outros tinham sido colocados no lugar, mas não encaixavam direito, causando muitas irregularidades. Em alguns pontos do coração, faltavam pedaços.
O jovem olhou para o coração do velho e disse:
- O senhor deve estar a brincar...compare nossos corações. O meu está perfeito, intacto e o seu é uma mistura de cicatrizes e buracos!
- Sim, - disse o velho olhando - o seu coração parece perfeito, mas eu não trocaria o meu pelo seu. Veja, cada cicatriz representa uma pessoa para a qual eu dei o meu amor. Tirei um pedaço do meu coração e dei para cada uma dessas pessoas. Muitas delas deram-me também um pedaço do próprio coração para que eu colocasse no meu, mas, como os pedaços não eram exactamente iguais, há irregularidades. Mas eu as estimo, porque me fazem lembrar do amor que compartilhamos. Algumas vezes, dei pedaços do meu coração a quem não me retribuiu. Por isso, há buracos. Eles doem. Ficam abertos, lembrando-me do amor que senti por essas pessoas... um dia espero que elas retribuam, preenchendo esse vazio. E aí, jovem? Agora você entende o que é a verdadeira beleza?
Calado, o jovem aproximou-se do velho, tirou um pedaço de seu perfeito e jovem coração e ofereceu ao velho, que retribuiu o gesto. O jovem olhou para o seu coração, não mais perfeito como antes, mas mais belo que nunca.”
Felizmente não tenho um coração perfeito. Alguém me disse há algum tempo atrás que, para haver amor tem que se amar e ser retribuído, caso contrário são só aproximações. Apesar de todos os conceitos relativos sobre o amor e apesar de toda a dor que as cicatrizes possam provocar, seja por amor, seja por aproximação, todas elas significam que se amou. E acreditar é o que nos faz levantar todos os dias com um sorriso nos lábios
!..."
Mar e Sol
By Amelia Biagioli

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Quando a noite for fria e a luz prateada atravessar as copas das árvores
Que esse seja o momento em que possa encontrar um lugar em teus braços

Quando a taça estiver transbordando com o vinho da solidão
Que sua presença venha embriagar-me com o vinho do amor

Quando o vento soprar forte querendo levar consigo meus sonhos
Que seja o seu olhar a certeza que estão firmados na rocha

Quando o inverno chegar buscando esfriar e congelar minha esperança
Que seu abraço seja o cobertor que aquece a minha alma

Quando as incertezas tentarem levar pra longe de mim os sonhos que guardo comigo
Que esse seja o momento de ver o milagre surgir...



Tininha
By Amelia Biagioli

segunda-feira, 27 de junho de 2011

A Linha e o Linho

É a sua vida que eu quero bordar na minha
Como se eu fosse o pano e você fosse a linha
E a agulha do real nas mãos da fantasia
Fosse bordando ponto a ponto nosso dia-a-dia
E fosse aparecendo aos poucos nosso amor
Os nossos sentimentos loucos, nosso amor
O zig-zag do tormento, as cores da alegria
A curva generosa da compreensão
Formando a pétala da rosa, da paixão
A sua vida o meu caminho, nosso amor
Você a linha e eu o linho, nosso amor
Nossa colcha de cama, nossa toalha de mesa
Reproduzidos no bordado
A casa, a estrada, a correnteza
O sol, a ave, a árvore, o ninho da beleza

Gilberto Gil
BY Amelia Biagioli


Livrai-me...

"Livrai-me de tudo aquilo
que for vazio de amor"
Caio F. Abreu 
By Amelia Biagioli

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Tempo demais



Erraram quando dividiram o tempo
e o puseram em relógios...
agora dependendo de dias e horas,
agora há tempo pra contar,
tempo para te ver,
tempo demais para saber
o quanto você demora



Cáh Morandi
By Amelia Biagioli

Um Dia

Um dia digo-te como me deixas quando te calas
O vazio que sinto num espaço que povoas de brisa
Um lugar que se molda à tua voz e ao teu estado d´alma
Um dia digo-te como o mundo pára quando te observo
E através da vidraça apenas vejo sair dos teus lábios sorrisos
A luz que emana a tua aura fresca, resplandecente
Um dia digo-te como estou quando não estás
Um dia conto-te como sou quando estás
Um dia…

Madalena Palma

By Amelia Biagioli

segunda-feira, 20 de junho de 2011

A luz que acende o olhar

A luz que acende o olhar
Vem das estrelas no meu coração
vem de uma força que me fez assim
vem das palavras, lembranças e flores
regadas em mim

O tempo pode mudar
A chuva lava o que já passou
Resta somente o que eu já vivi
Resta somente o que ainda sou

A luz que acende o olhar
Vem pelos cantos da imaginação
Vem por caminhos que eu nunca passei
Como se a vida soubesse de sonhos
Que eu nunca sonhei

Vem do infinito, da estrela cadente,
Do espelho, da alma, dos filhos da gente,
De algum lugar, só pra iluminar
A força
Vem de onde eu venho de tudo que acende
A vida, calada, me olha e entende
O que eu sou, tudo que é maior
Vem do amor
Vem do amor

A luz que acende o olhar
Vem dos romances que viram poesia
Vem quando quer, se quiser, se vier
Vem pra acender e mostrar o amor que a gente não via

Vem como um passe de pura magia
Como se eu visse e jurasse que há tempo já te conhecia

Vem do infinito, da estrela cadente,
Do espelho, da alma, dos filhos da gente,
De algum lugar, só pra iluminar
A força
Vem de onde eu venho de tudo que acende
A vida, calada, me olha e entende
O que eu sou, tudo que é maior
Vem do amor
A luz que acende o olhar,
Vem das histórias que me adormeciam
Vem do que a gente não consegue ver
Vem e me acalma, me traz e me leva
Pra perto de você
E me leva
Mais pra perto de você

Deborah Blando

By Amelia Biagioli
A pedido do meu amor...